Monday, January 12, 2015

O PRECEPTOR PARTE 2 - de GABRIELA VENTURA

                                                                                                    Conto de GABRIELA VENTURA



Recomeço minha história de onde parei, pois em 2007 aconteceu uma grande virada em minha vida!

Meu pai finalmente acordou do coma!

Ele se recuperou em alguns meses e a primeira providencia que tomou quando voltou para casa foi reassumir os negócios e me cuidar de verdade como ainda não tinha feito. Providenciou uma faculdade para mim (administração é claro), me passou ações para quando eu me formasse, enfim, deixou de ser tão frio como pai.

Mas veio a parte ruim também que era as cobranças, os exageros nos cuidados e a pior parte que foi quando o Rodrigo foi embora, pois com meu pai de volta ele agora só era necessário na empresa.

Senti tanta falta dele inclusive das surras que me faziam explodir de tesão a ponto de me masturbar sozinha várias vezes(sem meu pai sequer imaginar é claro) até que não agüentei mais e chamei o Rodrigo lá em casa e contei para meu pai sobre nosso namoro o que deixou ele surpreso mas no fundo feliz pois se eu casasse com ele os negócios da família estariam garantidos.

Mais 2 anos se passaram e muita coisa mudou, eu agora estava estagiando na empresa do meu pai, estava noiva do Rodrigo de casamento marcado e tudo! Agora eu tinha colegas de trabalho, mil coisas pra fazer e mal podia transar á vontade com Rodrigo mas eu recompensava ele deixando ele me surrar a vontade como e onde ele quisesse!

Em 2010 finalmente me casei com Rodrigo numa cerimônia linda! Com decoração própria na igreja, flores, orquestra pra marcha nupcial e tudo do bom e do melhor na recepção para 500 convidados entre amigos nossos, empresários, familiares meus e dele.

E como não poderia deixar de ter, na nossa lua-de-mel, claro que levei umas palmadas (por ter me atrasado como noiva, obviamente uma brincadeira só nossa)usando ainda o vestido de noiva, no colo dele, de saia levantada, ainda de calçinha (bem transparente claro).

Não foi uma grande surra como ele já havia me dado, foi mesmo só para esquentar! E como! Aquelas palmadas esquentaram meu bumbum e a minha "periquita", ou seja, minha noite de núpcias foi sexualmente inesquecível!

O tempo foi passando e as coisas foram melhorando.

Cada dia que passava nosso casamento se "exaltava" cada vez mais, transávamos todo dia e toda hora e claro eu provocava ele e ganhava várias surras na bunda!

Ele me bateu com todos os tipos de instrumentos como nos tempos de colégio interno. Destaque para o chinelo brasileiro, a slipper americana, a cane e a padlle de volta! Sem deixar de lado a mão dele claro! E ainda teve uma novidade: durante uma viagem ao Brasil (cidade de Goiânia), eu mostrei a ele um pouco da nossa vegetação e ele resolveu "experimentar" umas varas em mim.

E la fui eu abaixar as calças com calçinha e tudo e tomar uma surra que me deixou com a bunda listrada e bem ardida pois apanhei de vara de marmelo,goiabeira e laranjeira!

Em 2012 começamos a explorar as novidades do mundo do spanking através da internet!

Tudo que víamos de novidade fazíamos igual sempre com uma dose de sexo depois!

Um dia aconteceu uma situação embaraçosa, pois estávamos em nossa casa "brincando" pra variar: eu estava de blusa normal, mas já com a metade da calça abaixada aparecendo a calcinha quando meu pai chegou de surpresa e quase nos pegou no flagra!

Ele trouxe alguns convidados e o jantar correu normalmente até chegar a hora da sobremesa quando Rodrigo me chamou no canto da sala e me contou que sabia de um grupo interessado em nossas "brincadeiras", na hora não sabia o que fazer, mas ouvi com muita atenção e fiquei espantada com a proposta dele...

A proposta era a seguinte: Viajar para os EUA conhecer atores de spanking ao vivo e aproveitar para sermos introduzidos neste mundo de uma vez por todas!



A proposta partiu de um amigo de meu pai que percebeu pela movimentação o que estava acontecendo, mas claro não contou nada ao meu pai.

Viajamos e conheci atrizes spankees e atores spankers de todo o mundo!

Com eles pude aprender mais coisas além das que eu já sabia como truques de posicionamento, reações adversas a algum determinado tipo de surra, expressões faciais (como por exemplo quando fazer beicinho
de menininha que merece palmadas quando apronta ou então fazer cara de mulher fatal antes de uma boa surra de cinto) e o mais importante como provocar meu marido sempre que quiser levar uma deliciosa surra de prazer e vem funcionando tão bem que só para enumerar todas, esta história teria que ter até a décima parte continuada mas vamos lá:

Provoquei ele de diversas formas:

Primeira: andando de bicicleta de sainha pequenininha e mostrando a calcinha branquinha no quintal da nossa casa da toscana (presente de casamento de uns parentes dele) o que me rendeu umas palmadas em plena rua! Aquilo em deu um fogo...

Segunda: em plena reunião de negócios me fiz de distraída e me abaixei uma hora pra pegar uns documentos e deixei o "cofrinho" branquinho de fora (começo da bunda) o que me rendeu umas chineladas na sala dele na empresa o que me "queimou" muito!

Terceira: em plena viajem nos Alpes suíços fiz umas bolas de neve pra uma guerrinha particular com ele (parece coisa de criança) mas o perdedor teria que pagar um preço e claro que eu perdi pois ele é bem mais forte de que eu, e o pagamento foi levar umas palmadas de bunda de fora em plena montanha deserta de gelo pelo menos pude curar o meu bumbum ali na hora mesmo refrescando ele na neve e chupando meu marido logo depois!

Quarta e última das principais: no Brasil eu levei ele num hotel perto de uma favela e entrei no clima do lugar e aprendi a dançar funk e claro para provocá-lo resolvi mostrar como eu aprendi a dançar o quadradinho de quatro, resultado: enquanto dançava levei uma gostosa e prolongada surra com cane, paddle, cinto e várias daquelas varas da viagem á Goiânia! Fiquei sem poder sentar por dias!

Resultado: nessas quatro vezes transamos tanto que na última dessas aventuras eu engravidei e nós dois viramos um casal aparentemente normal e comum, mas como pra tudo da-se um jeito...

Nossa felicidade está garantida para sempre neste maravilhoso mundo do spanking aonde fui introduzida oficialmente pelo meu amado preceptor!

5 comments:

Byanca Yasmin said...

Olá! Quero praticar spanking
byancka_yasmin@hotmail.com

Anonymous said...

olá quero conversar sobre "spanking" e ser sua parceira virtual, aliás sua escrava sexual, fiquei muito excitada com seus contos, ansiosa pra falar com vc me escreva!!! email: lucianamrgomes@yahoo.com.br / lumaria_86@yahoo.com.br

Unknown said...

Tbm tenho interesse luciana rs me add no facebook pra conversamos melhor

Caio Lemes said...

Tbm tenho interesse me add no face pra conversamos melhor

Caio Lemes said...

Tbm tenho interesse me add no face pra conversamos melhor